E quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gosta m de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros[…] Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. (Mateus 6.5-6)

Nesta passagem, Jesus enfatiza que as orações devem ser sinceras. Ele nos ensina a maneira correta de orar sem sermos hipócritas. Em vez de permanecer em pé nos cantos das ruas recitando longas orações, seria mais adequado que orássemos em casa, em particular. Acima de tudo, Cristo deixa claro que precisamos nos desfazer de motivos impróprios. Não devemos orar para sermos reconhecidos ou ganharmos algo.

Isso não significa que nunca devemos orar em público. Os cristãos não estão restritos a certos lugares onde podem ou não orar. Locais como esquinas, mercados, áreas externas e igrejas certamente não estão além das fronteiras da oração. Podemos orar em qualquer lugar. Contudo, não devemos fazê-lo para nos exibir nem para ganhar admiração ou lucro. Cristo não condena tocar trombetas ou sinos a fim de atrair atenção para boas causas. Entretanto, ele certamente descarta motivos impuros na oração quando diz enfaticamente “a fim de serem vistos pelos outros”.

Ir para um lugar secreto e trancar a porta não são pré-requisitos para orarmos. Contudo, precisamos estar sozinhos para derramarmos os nossos desejos e necessidades diante de Deus, usando palavras e gestos que não nos deixariam confortáveis na frente de outros. Embora possamos orar em nossos corações sem dizer audivelmente coisa alguma, palavras e gestos ajudam a alumiar o espírito. Assim, nossas vidas inteiras devem ser devotadas a Deus – propagando sua Palavra e louvando seu reino. Tudo o que fizermos deve ser fundamentado em oração sincera. 

>> Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.